Ministry of Health NZ

A vice-ministra da Saúde da Nova Zelândia, Jenny Salesa, anunciou novos regulamentos progressistas sobre o vaping e outros produtos de tabaco sem fumaça. Os novos regulamentos estabelecem um equilíbrio razoável e responsável, entre ajudar os fumantes a mudar para produtos mais seguros e ao proteger os não fumantes, especialmente os jovens.

A abordagem do governo da Nova Zelândia aos fumantes é favorável e não-julgadora. Apoia firmemente o papel da redução de danos para o tabaco e reconhece que alguns fumantes precisam de alternativas além do antiquado e ineficiente apoio para “largar o vício”:

“Parar de fumar pode ser difícil e muitos fumantes que acham difícil parar podem optar por alternativas muito menos prejudiciais e, na maioria das vezes, por alternativas muito mais baratas, como o vaping. Vaping também é mais barato e isso é importante porque as pessoas com baixos rendimentos têm algumas das maiores taxas de tabagismo”.

Visando eficiência, segurança e responsabilidade em relacao à saúde pública, a nova política apresentada pela ministra baseia-se no seguinte resumo de evidências:

“Existe um consenso científico de que o vaping é significativamente menos prejudicial do que o tabagismo (cerca de 95%)”;
“O alcatrão e as toxinas da fumaça do tabaco, em vez da nicotina, são os responsáveis ​​pela maior parte dos danos associados ao seu uso.”
“Produtos de tabaco sem fumaça e vaping não queimam e, portanto, são muito menos prejudiciais do que fumar”.
Vaping também é susceptível de ajudar os fumantes a parar de fumar, mas a evidência de vaping como uma ferramenta eficaz de cessação do tabagismo ainda está sendo confirmada.”
“Os produtos Vaping podem beneficiar fumantes que queiram deixar o tabagismo, mas não estão livres de riscos”.
“Não há evidências de que a Vaping possa ser uma porta de entrada para o fumo de jovens. A maioria dos jovens vapers são fumantes ou ex-fumantes”.

Uma das novas políticas governamentais é encorajar os fumantes que têm dificuldade em parar de fumar  mudar para produtos de nicotina menos nocivos. Os produtos estarão disponíveis para adultos fumantes e haverá uma campanha de informação pública para promover a troca e educar as pessoas.