A FDA engana o público: o vaping não está levando os jovens dos EUA ao vício em nicotina

Dr. Roberto Sussman*

Há menos de um ano a Administração de Drogas e Alimentos dos EUA (FDA – U.S. Food and Drug Administration) afirmou que existe uma “epidemia” vaping entre os adolescentes nos EUA e que se está criando uma nova geração de jovens viciados em nicotina que sofrerão de terríveis doenças e terão morte prematura.

Difundir a cultura do medo

O discurso sensacionalista pregando o pânico foi rápida e subordinadamente adotado por alguns pares e simpatizantes sul-americanos, ansiosos por argumentos fortes e pertubardores. Aqueles que se opõem ao vaping no México, Argentina e Brasil, entre tantos outros países do hemisfério sul, usam com frequencia essas afirmações para declarar que o uso do vapor irá produzir uma nova geração de viciados em nicotina. No entanto, para a alegação da FDA estar correta, deveríamos poder ver (pelo menos) que muitos jovens que nunca antes haviam consumido nicotina estão agora vaporando diariamente -obviamente, não pode haver dependência sem consumo diário.

Os dados originais coletados ainda em 2018 pelo CDC, Centers for Disease Control and Prevention, órgão do U.S. Department of Health & Human Services, quando analisados não mostraram essa capacidade viciante do vaping¹. Apenas seria possível considerar viciados em nicotina os consumidores diários de vaping (5,1% dos estudantes) que nunca fumaram ou vaporaram (e nunca haviam consumido nicotina): e esses jovens são apenas 1,3% de todos os estudantes que usaram o vape em 2018. Esses possíveis “novos adictos” são, no máximo, 0,36% do total de menores que nunca consumiram nicotina e 0,27% do total de alunos pesquisados ​​(39 mil de 14,4 milhões). Em suma: as alegações alarmistas da FDA e replicadas obedientemente por algumas entidades similares, são propaganda infundada nos dados demográficos.


¹ por Martin Jarvis, da University College, Londres.

Parceiro da THR BRASIL, o Prof. Dr. Roberto Sussman, uma das maiores autoridades no campo da redução de danos do tabagismo, é pesquisador do Instituto de Ciências Nucleares da UNAM (Universidad Nacional Autónoma de México), diretor da Pro-Vapeo México e membro da AHLPROVAPE.

Imagem destacada: https://chadizzy1.blogspot.com/2010/06/dont-buy-into-lies-of-fdatobacco.html