Trump bane sabores

Trump anuncia um desastroso plano para proibir vapes com sabor nos EUA

por Will Godfrey

O presidente Donald Trump anunciou na tarde de hoje, 11 de setembro, o desejo que a Food and Drug Administration (FDA) planeje retirar produtos vaping com sabor do mercado americano. Descrevendo o vaping como “um novo problema no país”, Trump disse a repórteres após uma reunião política que “ações muito, muito fortes” podem ser necessárias para proteger “crianças inocentes”.

O secretário de Saúde, Alex Azar, confirmou que a FDA está finalizando os planos de proibir todos os sabores em todo o país, com exceção do tabaco. No entanto, o processo de implementação de uma proibição nacional deverá levar vários meses.

A medida será vista como extremamente prejudicial para as pessoas que abandonaram o tabagismo com o vaping – muitas das quais se beneficiaram de diferentes sabores para parar de fumar -, assim como cientistas e defensores da redução de danos do tabaco.

Quando Michigan se tornou, em 4 de setembro, o primeiro estado a proibir sabores, o Dr. Michael Siegel, professor da Escola de Saúde Pública da Universidade de Boston, disse à Filter que a medida era “um potencial desastre à saúde pública”.

Dr. David Abrams, professor na Faculdade de Saúde Pública Global da Universidade de Nova York, disse: “É terrível restringir um produto menos prejudicial que os fumantes precisam para ajudá-los a parar de fumar, deixando cigarros, que são prejudiciais, acessível em qualquer lugar. Essa política prejudica [vapers] e os fará querer obter seus produtos de fontes ilícita – ou eles serão forçados a voltar a fumar cigarros. “

Uma proibição nacional a essas essências de sabor teria um impacto exponencialmente grande, em um país que conta com 12 milhões de americanos que abandonaram os cigarros pelo vape. Pesquisas indicaram que o vaping é cerca de 95% menos nocivo que o fumo em longo prazo, e que os vapes são duas vezes mais úteis para se deixar de fumar do que as Terapias de Reposição de Nicotina, como adesivos ou chicletes de nicotina, por exemplo. Atualmente, mais de 34 milhões de americanos fumam. São quase meio milhão de mortes relacionadas ao tabaco a cada ano.

Em seu recente artigo publicado pela Filter, Helen Redmond escreveu que os oponentes da redução de danos foram recentemente encorajados por um pânico instável e desinformado sobre relatos de doenças pulmonares e morte associadas ao vaping. Também foi anunciada nesta semana uma injeção de US $ 160 milhões da Bloomberg Philanthropies para combater o vaping no meio juvenil, em parte para apoiar uma iniciativa da Campaign for Tobacco-Free Kids.

Mas o argumento “pense nas crianças“, tão amado pelos proibicionistas de drogas e repetido por Trump, tem sido parte integrante da campanha de “saúde pública” contra o vaping há anos. As alegações de que existe uma “epidemia” de vaping entre jovens americanos não fumantes foram desmanteladas por especialistas como Clive Bates, ex-diretor de Ação sobre Tabagismo e Saúde (Reino Unido).

Os fumantes, que pertencem desproporcionalmente a grupos marginalizados, incluindo pessoas de baixa renda, pessoas com diagnóstico de saúde mental, pessoas LGBTQ e pessoas de cor, sofrerão as consequências em termos de opções reduzidas para o abandono do tabagismo se uma proibição de essências de sabor se concretizar. As pessoas que mudaram com sucesso dos cigarros para o vaping também correm o risco de voltar a fumar, se não tiverem disponíveis seus sabores preferidos.

“Sem os sabores, eu não poderia deixar de fumar”, disse recentemente à Filter, um morador de Michigan e dono de uma loja de cigarros eletrônicos. “O eJuice sem essas essências de sabor teria um sabor muito estranho. Quando você está tentando parar de fumar e encontra um sabor de que realmente gosta, vocẽ compara, e os cigarros ficam cada vez mais nojentos. Muitos dos meus clientes dizem o mesmo. ”

“Estou recebendo telefonemas [de vapers] que estão preocupados com sua saúde e sua vida”, disse Spike Babian, defensor da redução de danos do tabaco e dono de uma loja de vape em Nova York. “Mesmo aqueles que são cientes das mentiras que foram contadas pelo nosso governo no passado estão começando a se preocupar. Muitos deles expressaram intenção de parar com o vaping e voltar a fumar. É uma tragédia se ex-fumantes que fumaram por décadas e finalmente conseguiram parar, tenham que voltar a fumar porque seu governo lhes disse que o vaping os mataria.”

Mas a oposição ao vaping, compartilhada por órgãos tão importantes como a Organização Mundial da Saúde, centra-se na oposição à redução de danos em si – a insistência absurda e paternalista de que a abstinência, por mais que a realidade possa mostrar que a abstinência não é viável em muitos casos, é a única maneira aceitável de manter as pessoas em segurança.

O colaborador da Filter (e membro da THR BRASIL) Michael McGrady escreveu recentemente, como um experimento mental e literário, sobre o que aconteceria se os EUA instituíssem uma proibição total sobre o vaping. O desenrolar das notícias atuais estão rapidamente fazendo esse cenário distópico descrito por Michael parecer cada vez menos absurdo.

Will Godfrey é editor-chefe da Filter.

Imagem destacada: Filter <https://filtermag.org>
Original: https://filtermag.org/trump-vaping-ban/?fbclid=IwAR15BNOcyGrtbeT9dVnRHnw6iXu6ptxkSNclP_Fj05FlNmkvZb5JYwnPbk8