Estudo encontra melhorias significativas na saúde vascular de fumantes crônicos que fazem a transição para cigarros eletrônicos

Embora a toxicidade a longo prazo dos cigarros eletrônicos ainda não seja plenamente conhecida, especialistas da Universidade de Dundee (Escócia) demonstraram que causam uma melhoria substancial na saúde vascular dos fumantes após apenas um mês de uso.

Depois de circularem na mídia várias publicações revelando os perigos potenciais dos cigarros eletrônicos, os pesquisadores escoceses lembram que, acima de tudo, mudar do tabaco para o cigarro eletrônico melhora a saúde das artérias em apenas um mês. Através do estudo VESUVIUS encomendado pela British Heart Foundation, a pesquisa revela que o uso de cigarros eletrônicos leva a melhorias significativas na saúde cardiovascular de fumantes. O trabalho foi publicado na revista Journal of the American College of Cardiology.

Fumar mata, mas o vaping é realmente menos perigoso? Definitivamente, sim – respondem os especialistas.

Um estudo de 2 anos com 114 fumantes realizado pela Faculdade de Medicina

Para o estudo dos pesquisadores da Universidade Escocesa de Dundee, foram recrutados 114 fumantes que haviam fumado pelo menos 15 cigarros por dia durante um período mínimo de dois anos; então foram divididos em três grupos: aqueles que continuaram a fumar normalmente, aqueles que mudaram para o cigarro eletrônico consumindo líquidos com nicotina e aqueles que mudaram para o cigarro eletrônico e consumiram líquidos sem nicotina.

Para determinar mudanças no organismo, os pesquisadores mediram o impacto em seus vasos sanguíneos: a disfunção dos vasos sanguíneos, ou disfunção endotelial, é a primeira alteração detectável na saúde vascular diretamente relacionada ao risco cardiovascular. Para medir essa função endotelial, os cientistas avaliaram a dilatação e rigidez das artérias.

O professor Jeremy Pearson, diretor médico associado da British Heart Foundation, disse: “Nossos corações e vasos sanguíneos são as vítimas ocultas do tabagismo. Anualmente no Reino Unido, 20.000 pessoas morrem de doenças cardíacas e circulatórias causadas pelo fumo. São 50 pessoas por dia, ou duas mortes por hora. Parar de fumar é a melhor coisa a fazer para a saúde do coração.”

Pearson lembrou, no entanto, que “não é porque os cigarros eletrônicos são menos prejudiciais que o tabaco que eles são completamente seguros. Sabemos que eles contêm muito menos produtos químicos nocivos que podem causar doenças relacionadas ao fumo, mas ainda não sabemos os efeitos a longo prazo. O vaping nunca deve ser usado por pessoas que ainda não fumam, mas pode ser uma ferramenta útil para ajudar a parar de fumar “.

O pesquisador Jacob George, professor de medicina cardiovascular em Dundee enfatiza que, embora os cigarros eletrônicos tenham se mostrado muito menos prejudiciais, os dispositivos em questão ainda podem representar riscos à saúde: “fumar é um fator de risco evitável para doenças cardíacas”, disse antes de acrescentar: “os Ecigs não devem ser considerados dispositivos inofensivos para não fumantes ou adolescentes. No entanto, em fumantes crônicos, a função vascular melhorou significativamente em menos de um mês após a mudança do tabagismo para o vaping.

“Para contextualizar, cada ponto percentual de melhora na função vascular resulta em uma redução de 13% na taxa de eventos cardiovasculares, como ataques cardíacos. Do tabaco ao cigarro eletrônico, observamos uma melhora média de 1,5 pontos em apenas um mês. Isso representa uma melhora significativa na saúde vascular. Também descobrimos que, no curto prazo, pelo menos, independentemente de o cigarro eletrônico conter ou não nicotina, uma pessoa notaria uma melhora significativa em sua saúde vascular com o uso do vaping. O impacto a longo prazo do uso da nicotina requer mais estudo e monitoramento.”

“Observamos que as mulheres se beneficiaram muito mais que os homens ao escolher o cigarro eletrônico, e estamos ainda procurando os motivos disso. Nossa pesquisa também revelou que, se uma pessoa fumava há menos de 20 anos, a rigidez de seus vasos sanguíneos também melhorava significativamente em comparação com aqueles que fumavam há mais de 20 anos”.

O ministro escocês da Saúde Pública, Joseph Martin FitzPatrick, disse: “parabenizo o lançamento deste relatório, que contribui imensamente para o debate em andamento sobre o lugar dos cigarros eletrônicos em nossas comunidades. É bom ver estudos importantes e relevantes como esse produzidos na Escócia e justificar nossa reputação de ser um dos principais centros de pesquisa médica em nível mundial.”


Cardiovascular Effects of Switching From Tobacco Cigarettes to Electronic Cigarettes

Jacob George, Muhammad Hussain, Thenmalar Vadiveloo, Sheila Ireland, Pippa Hopkinson, Allan D. Struthers, Peter T. Donnan, Faisel Khan, Chim C. Lang.
Journal of the American College of Cardiology, Elsevier, 15/11/2019.

Acesse o artigo online
Acesse o artigo em PDF
O resumo em vídeo do estudo pode ser visualizado e baixado aqui
fontes: Science et Avenir / University of Dundee